A China, com seus inusitados alquimistas é sem dúvida quem inventou a pólvora e por consequência a Pirotecnia.

A palavra pirotecnia provém do grego (pur: fogo e tekné: técnica, arte), e significa a arte de dominar o fogo.

Alguns estudiosos interpretem erroneamente que a expressão "fogos artificiais" ou "fogos de artifício" se refira à representação "artificial" da guerra, ou seja, à simulação do fogo das armas, que não produz dano, mas alegria. Outras correntes entendem que sua origem está na expressão latina artifex (trabalhador, artesão). Em japonês, para dizer o que é pirotecnia: hanabi: flores de fogo. A palavra inglesa fireworks (fire: fogo, works: trabalho) é, sem dúvida, a que melhor reflete esse caráter, o trabalho, o labor do fogo.

A falta de documentos dificulta os estudos dos primeiros indícios, mas pela crença indica que se deu no começo da era Cristiana para uso festivo utilizando inicialmente de efeitos sonoros. E também utilizavam a pólvora como propulsão acreditando que chegariam a Deus.

Podemos observar na hitória humana que pessoas talentosas, com grandes inventos, grandes desejos, são submetidos em algum momento de suas vidas por ambiciosos projetos desumanos.

"A pólvora deixou de ser usada para proporcionar alegria e passou para o uso mais absurdo e selvagem: a guerra".

A China possui grandes inventos em sua história. Documentos comprovam o uso da pólvora para fins bélicos no séc XIII, com o uso de canhões, também chamados de "flecha de fogo", contra invasores bárbaros (mongóis) do Norte.

A pólvora chega a Arábia no séc. VII proveniente da China, e conhecem os canhões como "flechas chinesas". Séculos mais tarde, durante o renascimento, os árabes serão os propulsores de grande consumo de Espetáculos Pirotécnicos na Espanha.

Deixando o lado bélico da pólvora, a arte pirotécnica seguirá na China com um desenvolvimento muito intenso ainda completamente independente da Europa até o séc. XVIII, onde o intercambio começa a se destacar.

Ainda hoje conserva seu tradicional mercado, especialmente no que se refere à fabricação, sendo que 90% da produção mundial e do consumo são desprovidos da China.

O Brasil é o segundo produtor mundial de Fogos de Artifício.